sábado, 10 de setembro de 2016

Epistemologias feministas, Karina Buhr e Selvática


Karina Buhr, feminismo e política


Eu Sou Um Monstro
Karina Buhr

Mulher, tua apatia te mata
Não queria de graça
O que nem você dá pra você, mulher

Hoje eu não quero falar de beleza
Ouvir você me chamar de princesa
Eu sou um monstro

Mulher, tua apatia te mata
Não queira de graça
O que nem você dá pra você, mulher
Tua apatia te mata
O que você vai fazer
Vai dizer
O que vai acontecer com você

Hoje eu não quero falar de beleza
Ouvir você me chamar de princesa
Eu sou um monstro






Esôfago
Karina Buhr

Esse carinho morno
Que me dás de repente
Vai te doer um mundo
Minha querida

Você é culpada
Do mal permanente
Que te causo
Como sinal de meu amor profundo

Me agradeça
Essa mentira doente
Que poluiu nossos segundos
Te levou pro fundo

Eu não posso te deixar, te deixar
Querida minha
Te levarei junto
Disse o assassino
Com aplausos do público

Eu não posso te deixar, te deixar
Querida minha
Te levarei junto
Disse o assassino
Com aplausos do público




Para saber mais:

http://www1.folha.uol.com.br/guia-de-livros-filmes-discos/2015/09/1684451-karina-buhr-exercita-a-tematica-feminista-em-novo-disco-selvatica.shtml

http://www.karinabuhr.com.br/




Nenhum comentário:

Postar um comentário